Loading...

Blog

10 12, 2017

Obsessões musicais (X)       

2017-12-11T12:19:59+00:00 10 de dezembro de 2017|0 Comments

O tédio, essa eternidade sem conteúdo, esta felicidade sem gozo, esta profundidade superficial, esta saciedade faminta. (Kierkegaard) O Fantástico costuma mostrar bobajadas, mas em linhas gerais rolam sacações boas na concepção do programa - o Tadeu Schimdt é uma delas. De par com o detalhe de haver passado por Brasília como morador, formação universitária no Uniceub, o

29 11, 2017

Obsessões musicais (IX)

2017-11-30T10:49:54+00:00 29 de novembro de 2017|0 Comments

Uma leve impressão: o termo narrativa, encontrável em dez de cada dez textos jornalísticos, está saindo de moda. A substituição, no tocante a uso frequente, é pelo entrega. Nada de associar entrega a delação (premiada), procedimento em voga nas salas da polícia federal, do ministério público, através do qual amigos e amigas lançam na fogueira ex-amigos e ex-amigas de

17 11, 2017

Memórias/Memorialistas (LIII)

2017-11-18T12:03:43+00:00 17 de novembro de 2017|0 Comments

Continuemos nosso périplo através das páginas do Chão de ferro, volume 3 das memórias do Pedro Nava. O episódio em tela, visto na coligada postagem anterior, fora escrito nos anos de 1970, em reportagem de episódio ocorrido por volta de 1918. Paul Gauguin No consenso atual, cuidar-se-ia (Fora…) tecnicamente de assédio sexual, malgrado a

15 11, 2017

Memórias/Memorialistas (LII)

2017-11-18T12:13:04+00:00 15 de novembro de 2017|0 Comments

Quando nos lembrarmos deste tempo, nos lembraremos de que foi o tempo em que galanteio virou assédio sexual. A própria palavra “galanteio” ficou antiga e sem sentido. Era um elogio dirigido por um homem a uma mulher — nunca de uma mulher a um homem — enaltecendo sua beleza. Os homens que faziam galanteios eram

5 11, 2017

Poemas de uma paulista desgarrada (VII)

2017-11-07T14:48:24+00:00 5 de novembro de 2017|0 Comments

Eu não sou/direita ou esquerdista/social ou comunista/ sou do partido do artista/ que respeita ponto de vista/ contra o egoísta/e o capitalista/ onde ser feliz está na lista/como verdade e missão/ de quem diariamente/ reverencia são jorge/ mas antes salva o dragão. (Marina Mara) Abuso meu esse negócio de envolver na saga de três poetas

22 10, 2017

Hey Jude (III)

2017-10-24T20:46:25+00:00 22 de outubro de 2017|0 Comments

Vejo caminhões e carros apressados a passar por mim/ Estou sentado à beira de um caminho que não tem mais fim/ Meu olhar se perde na poeira dessa estrada triste...  (Sentado à Beira do Caminho - Erasmo Carlos) Não seccionei o desabafo do pai gratuitamente. O intervalo servirá para que todos e todas reflitamos mais acerca

22 10, 2017

Hey Jude (II)

2017-10-24T20:16:34+00:00 22 de outubro de 2017|0 Comments

Com o Planalto Central ainda castigado pela baixíssima umidade do ar neste domingo dois patinhos no lago Paranoá quase impotente (cadê a chuva?), volto ao note e especulo: a esta altura, o Paul McCartney, já muito longe de São Paulo, deve ter deixado o México e realmente... Realmente, devo confessar, não sei por onde ele anda. Cadê

19 10, 2017

Hey Jude

2017-10-24T20:13:13+00:00 19 de outubro de 2017|0 Comments

E o Paul McCartney já veio pra São Paulo 17 vezes! O Paul McCartney vem pra São Paulo mais vezes que o Doria! Rarará! McCartney pra prefeito! Daqui a pouco a gente encontra o McCartney até na fila do pãozinho do Bom Preço de Itaquera! (José Simão) Começo na brincadeira mas o assunto é sério, seriíssimo. Remete

6 10, 2017

Memórias/Memorialistas (LI)

2017-10-06T13:35:22+00:00 6 de outubro de 2017|0 Comments

Toda água tem memória, sempre tentará voltar para o lugar de onde veio. (Toni Morrison) Há críticos que consideram a memorialística gênero menos nobre da literatura; os mais radicais não a têm sequer como digna de figurar naquilo que antigamente chamávamos de livro e púnhamos na estante. Não sabem o que dizem, muito menos o

22 09, 2017

Poemas de um piauiense desgarrado  (IX)

2017-09-22T18:00:32+00:00 22 de setembro de 2017|1 Comment

Os poetas são inúteis, é o que se diz habitualmente. Já ouvi, como conselho, que a poesia não dá camisa a ninguém. Escrevi cinco livros e não ganhei camisa, é verdade. Mas alguns versos ali prestaram, houve pessoas que se emocionaram com eles. E, aqui e ali, louvei a vida. (...). A poesia serve também para isso: