Monthly Archives: janeiro 2016

28 01, 2016

Memórias/Memorialistas (XXXIV)

2016-01-28T23:06:22+00:00 28 de janeiro de 2016|0 Comments

“... Você diz as coisas pelos nomes exatos, não por cincunlóquios. Não enfeita a realidade. Tanto o homem perseguido de 1932 como o garoto da França se manifestam com uma força existencial e uma dimensão humana que seduzem a gente. Que bela, sofrida, generosa e criativa parábola se desenvolve ao longo de sua vida, de

23 01, 2016

Xô, mosquito

2016-01-23T13:37:52+00:00 23 de janeiro de 2016|0 Comments

Há coisa de dez anos, meu irmão Luiz foi passar uns dias de férias em Pernambuco. Preso aos laços de fraternidade, torci  como sói para que tudo desse certo, o que não impedira brotar em mim uma invejazinha saudável(?), visível só em microscópio de última geração, desses que encontramos em laboratórios de renomadas universidades americanas

15 01, 2016

Odaléia, Noites Brasileiras (II)

2016-01-15T17:35:46+00:00 15 de janeiro de 2016|0 Comments

Das doses de pinguinha que bebi em dois copinhos de vidro grosso, caprichadas pelo dono do botequim (vascaíno que nem eu) onde de conseguinte pude reaparecer e mostrar meus “conhecimentos gerais”, sobrou nada para o santo. Sorvi tudinho, não ficou uma gota sequer. Para o bem e para o mal, me embriaguei com as histórias

15 01, 2016

Odaléia, Noites Brasileiras

2016-01-15T12:48:49+00:00 15 de janeiro de 2016|0 Comments

Não há mais debate a respeito de estarmos ou não numa época de busca frenética pela informação. A rigor, nem se trata de ir atrás dela, que nos chega incessantemente, mesmo quando porventura não a queremos. Nas mesas dos botecos, a vaidade é ser o mais antenado, o indivíduo que conhece tudo em tempo real.

12 01, 2016

O satânico Dr. No

2016-01-12T22:13:15+00:00 12 de janeiro de 2016|0 Comments

Consta ser um ditado chinês: nunca volte ao lugar onde você já foi feliz. Há coisa de uns dois meses, “revisitei” um local de minha felicidade, através de uma tela, a da televisão. Sintonizei o canal fechado, aguardei ansiosamente o início do filme, o qual virara um clássico, o primeiro da sequência “Bond... James Bond”

8 01, 2016

Tri-presidente (IV)

2016-01-08T21:49:48+00:00 8 de janeiro de 2016|0 Comments

25 de fevereiro de 1985. Não era exatamente uma aula, daquelas que são ministradas tradicionalmente em estabelecimentos acadêmicos - colégios, escolas, faculdades. Não se viam alunos e alunas. Todavia, o público que comparecera ao local estava aprendendo, ouvindo as lições dadas pelo palestrante. ”Rapidez e segurança na aplicação da lei ao caso concreto dificilmente se

7 01, 2016

Tri-presidente (III)

2016-01-07T17:43:57+00:00 7 de janeiro de 2016|0 Comments

Quantos brasileiros circularam ou, sendo mais preciso, atuaram em condições oficiais no âmbito dos três poderes da República, integrando seus quadros de pessoal formalmente? Difícil de estimar. Provável é que não tenham sido muitos. E quantos já colheram a oportunidade de haverem sido presidente do Judiciário, do Legislativo e do Executivo? O site do Supremo

6 01, 2016

Tri-presidente (II)

2016-01-06T17:38:23+00:00 6 de janeiro de 2016|0 Comments

“Foi nossa vontade de poder que dissolveu as antigas e generosas intuições do que, em falta de nomes mais variados, chamamos ‘tempo’. Vontade de poder, necessidade de redução a uma unidade controlável, que nos desse conforto diante do galope do tempo para o seu fim. Fim dos tempos, Julgamento final. Fim da História. Fim do