Poemas de uma carioca desgarrada XVIII

Poemas de uma carioca desgarrada XVIII

Volto a ter recaídas e traio a prosa.

Se já declarei que não sou muito chegado a poemas, qual o motivo de abrir espaço novamente aos versos? Talvez pela expectativa de rebrilhamento.

http://www.downloadswallpapers.com/wallpapers/2012/julho/estrela-brilhante-iluminando-wallpaper-15709.jpg

http://www.downloadswallpapers.com/wallpapers/2012/julho/estrela-brilhante-iluminando-wallpaper-15709.jpg

FLOR DESERTA

Com esse poder
de passar sem
se deixar levar
pela torrente de acasos

Quando parece que viramos
o próprio ocaso,
que não tornaremos a brilhar….

Quando o coração fica
atolado,
apertado,
espremido,
que nem gemido faz…

De repente um alvorecer
assusta,
ofusca,
cega.

E nos transforma completa
e definitivamente.

____Norma Martins*____bHz / 1994

 

03/07/2016

(195)

mmsmarcos1953@hotmail.com

2016-07-03T23:37:22+00:003 de julho de 2016|0 Comments

Leave A Comment