Vovô pagodeiro

Vovô pagodeiro

A cultura é o território da beleza, da sofisticação e do encontro entre gentes.

(Luiz Antonio Simas)

É saudável se conceder pausa e ignorar a batalha eleitoral. No octógono, para delírio da massa varada de fanatismo, dois lutadores se entredevoram. Um se apresenta trajando farda de milico, autêntico personagem de livros do Gabriel García Márquez, e o outro entra na cena com seu uniforme de aluno de escola pública, orientado por mestre que o bedel de blusa negra pôs de castigo no cantinho do pensamento.

Afastemo-nos temporariamente dessa peleja encarniçada, ordem unida (epa), sigamos de forma altaneira para a estação. Lá nos espera o trem das onze, há muito soltando vapores do nepotismo.

Meu primo Mauricio, aquele mesmo que aqui, neste blog, inspirou com seus versos beiruteanos a postagem nº 022, de 13/11/2013, fará as vezes de maquinista. De Belo Horizonte, terminando sua hospedagem na casa da prima que vem a ser a poeta carioca desgarrada, partirá agora no rumo da Cidade Maravilhosa com milhares de músicos espalhados pelos vagões da alegria, do congraçamento, numa antecipação do pagode que irá acontecer em Xerém.

https://www.deviantart.com/chacckco/art/Samba-447486921[/caption]

Pagode de Pedro Vovô

Veja só! 
Mas, que coisa bonita.
O pandeiro, a cuíca.
O chocalho, o agogô.

Gordurinha.
Pegou a viola.
Pois era da escola.
Do pai e do avô.

Negro Dimas.
Que tava por perto.
Ficou mais esperto.
E se arrepiou.

Ananias
Tirou o cavaco.
De dentro do saco.
Porque o outro, furou.

Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.
Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.
Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.
Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.

Gente fina.
O Dudu da Portela.
O Geraldo Magela.
O Carlinho e o Renan.

Dona Vilma.
Que tava de bode.
Entrou no pagode.
E tocou um tantan.

Zé Catimba.
Que tava de porre.
Tomou outro gole.
E de porre ficou

Aloísio.
Que tava de fraque.
Sofreu um ataque.
E de samba atacou.

Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.
Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode o Pedro Vovô.
Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.
Mas, me chama que eu vou.
Pro pagode do Pedro Vovô.

Lauriiiiindo!!!
Joga a tua rede.
Que hoje tem peixe.
No mar.
E eu trouxe.
Uma cachaça 
Lá de Minas.
Tá bom da gente.
Tomar.
E a turma 
Vem chegando.
Lá de cima.
E, as minina.
Tá esperando 
Pro jantar

Mauricio Borges

bsb /2000

https://www.palcomp3.com/mauricioassis/pagode-de-pedro-vovo/

#Luiz Antonio Simas     #Gabriel García Márquez    #Nepotismo     #Xerém     #Pagode de Pedro Vovô     #Mauricio Borges

10/10/2018

(285)

mmsmarcos1953@hotmail.com

2018-10-10T15:17:16+00:0010 de outubro de 2018|0 Comments

Leave A Comment